RACISMO EM PORTUGUÊS - O LADO ESQUECIDO DO COLONIALISMO

Os portugueses terão sido mais brandos e menos racistas do que as outras potências coloniais? Por que motivo não se aprende nas escolas de Portugal que existiu em Angola e Moçambique um apartheid, e que o país que não hesitou em promover o trabalho escravo até 1974? Vamos perpetuar a narrativa de um colonizador que não discriminava porque se miscigenou com as populações locais, quando sabemos que as obrigava a despir-se da sua identidade africana, a mudar de nome, a alisar o cabelo ou a obliterar a sua língua? Até quando iremos contribuir para uma mentalidade acrítica sobre um dos fenômenos mais violentos da história? A partir de entrevistas feitas em Angola, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Moçambique e São Tomé e Príncipe, Joana Gorjão Henriques desconstrói o tema tabu do racismo no colonialismo português.