O HOMEM MOISÉS E A RELIGIÃO MONOTEÍSTA

Entregas para o CEP:
Meios de envio
  • Livraria e Editora Scriptum Rua Fernandes Tourinho, 99, Belo Horizonte (MG) *nos consulte os horários da retirada pois estamos com restrições de horário devido a pandemia COVID-19
    Grátis

Violência e religião segundo Freud

Provocante, exigente e perturbador. Assim é O homem Moisés e a religião monoteísta, conjunto de três ensaios freudianos gestados durante anos e publicados em conjunto pela primeira vez em 1939, às vésperas da Segunda Guerra Mundial e da morte do criador da psicanálise. Em meio à onda de antissemitismo que varria a Europa em meados da década de 1930, Freud (1856-1939), autoproclamado judeu ateu, se colocou as seguintes indagações: como os judeus se tornaram o que são e por que atraem ódio eterno?

Combinando pesquisa historiográfica e uma imaginação tão criativa quanto genial, ele fez uso de ferramentas psicanalíticas para reconstruir a origem da mais antiga religião monoteísta a partir da figura de Moisés, líder religioso dos hebreus que sempre o fascinara. Os resultados surpreendem: Moisés, um egípcio, teria dado aos judeus sua religião; o monoteísmo baseia-se em uma série de dualidades; a identidade judaica não é plena e uma, mas fragmentária; um crime primordial seria o cimento do judaísmo, além de uma nova e admirável comprovação do paralelo entre a psique individual e a coletiva. Um dos textos mais desafiadores de Freud.


O autor recebeu o Prêmio Goethe em 1930 Cover design or artwork by Pinheiro Machado, Ivan Preface by Bernardo Fuks, Betty