POEMAS RELIGIOSOS E ALGUNS LIBERTINOS

Parte da riqueza da poesia de Manuel Bandeira reside na tensão muito particular entre sensualidade e sentimento místico-religioso. Nesta antologia, estão sublinhados esses dois aspectos de sua obra: o poeta que celebra e traz as figuras religiosas para o cotidiano é o mesmo que brada nos poemas libertinos: 'Não posso crer que se conceba/ Do amor senão o gozo físico!'. 
O livro dá seqüência à publicação das obras de Manuel Bandeira, iniciada com Crônicas da Província do Brasil e 50 poemas Escolhidos pelo Autor. O volume, organizado e atualizado por Edson Nery da Fonseca, traz desenhos do artista Guignard marcando as subdivisões temáticas.
Um livro marcado pelo que Gilberto Freyre, no prefácio à primeira edição, chamou de 'a mais ardente busca de Deus, para suas inquietações, seus talvez pecados, seus talvez desmandos de homem por vezes mais carne que verbo'.