A VOZ DO ALEMÃO

Entregas para o CEP:
Meios de envio
  • Livraria e Editora Scriptum Rua Fernandes Tourinho, 99, Belo Horizonte (MG) - Atendimento de Segunda à Sexta das 9:00 às 20:00 e aos Sábados das 9:00 às 15:00
    Grátis

Formada por 13 favelas com mais de 70 mil habitantes, o Complexo do Alemão tem uma história marcada por violência, exclusão e desconhecimento. Poucas eram as pessoas, além dos moradores, a subirem o morro. Então quase nada se sabia sobre quem vivia lá. O cenário hoje não é o mesmo e todas as atenções estão voltadas para um mundo até então reduzido apenas aos limites da favela. Exemplo disso é o livro 'A Voz do Alemão', escrito em parceria pela jornalista Sabrina Abreu e pelo jovem Rene Silva, morador do Alemão. Na obra, Sabrina e Rene recuperam a história do Complexo ao conta-la por meio do jornal Voz da Comunidade, criado por Rene aos 11 anos de idade. Para isso, trazem uma grande diversidade de fontes que, somada à rica pesquisa, tornam a obra um retrato real e plural da comunidade. Conhecido como 'Rene do Voz', o jovem criou o jornal em 2005 para falar sobre os problemas e necessidades dos moradores do Morro do Adeus, local onde vivia com os avós, a mãe e os irmãos. O que começou com uma folha de sulfite dobrada em quatro partes tomou força por falar daqueles que até então eram invisíveis diante da grande violência em que viviam. O Complexo só costumava ser citado quando o conteúdo se referia às vendas de drogas e às guerras do tráfico - afirma Helcimar Lopes, pesquisador e supervisor do Instituto Raízes em Movimento, uma ONG sediada no Morro do Alemão. A notoriedade de Rene dentro do Complexo cresceu e se firmou, porém, foi apenas cinco anos depois, no dia 27 de novembro de 2010, com um post no Twitter que a fama o alcançou. Nele, Rene falava sobre a movimentação dos traficantes um dia antes da ocupação policial que foi notícia no mundo todo. No dia seguinte, repórteres de cinco jornais diferentes esperavam na rua para entrevistar Rene. Com a fama, veio a oportunidade de aumentar os projetos sociais. Além do jornal, Rene também havia criado todo um cronograma de ações aproveitando datas comemorativas como o Natal e a Páscoa. Eles tiveram um salto de qualidade e alcance depois que o jornal comunitário ganhou mais visibilidade - e que Rene teve acesso a quem poderia ajuda-lo a conseguir mais doações e atrações. Com o apoio de famosos como Preta Gil e a banda NX Zero, as arrecadações e doações saltaram de volume.